25 de outubro de 2011

A Esquecida, Gisele Zwicker

Com apenas 13 anos de idade Gizele Zwicker dá seus primeiros passos como escritora. “A Esquecida” é uma eletrizante e envolvente história que mescla suspense e boas pitadas de bom humor! Camila, uma adolescente de 17 anos com dons peculiares de ver, conversar e tocar em pessoas mortas, precisa da sua ajuda para decifrar um mistério de outro mundo! Você topa?

A primeira vez que eu ouvi falar da Gi sentiu a intimidade foi lendo as fanfics dela. Eu tinha sete anos e era nova no Fanfiction.net, e a primeira fic de Harry Potter que eu li era dela. Ou seja, eu "conheço" a escrita da Gi desde aquela época - escrita que, por sinal, eu simplesmente amo.
Quando eu soube que ela tinha escrito um livro, imediatamente o meu primeiro pensamento foi: caralho, como eu não li isso ainda? - e me perdoem pelos palavrões. E eu logo corri pro Submarino, procurar o livro. "A Esquecida" é uma história à la "A Mediadora", mas não é isso. Pra começar, ao invés do doce e hispânico Jesse, a gente tem o irônico e destinado a proteger a protagonista Dimitri.

No quesito diferenças, a Camila também diverge bastante da Suzannah. Enquanto a Suze é filha única, órfã e bem rebelde, a Camila é uma menina "comum" - exceto, é claro, pelo fato de que ela pode ver e tocar nos mortos. Os pais da Camila nunca param em casa, ela tem que se virar e tem como companhia um gato - chamado Thomas II - e sua empregada, a engraçadíssima Ivone que, além de ser a única que sabe do segredo da menina, anda sempre com um crucifixo, para afastar as almas penadas.

Camila tem um poder que ela só pode libertar em casos de extrema necessidade, e que nem ela sabe que tem: ela é "abençoada". Por essas e por outras, o Pentágono (uma organização sobrenatural que designa fantasmas para protegerem os humanos especiais) designa Dimitri para ser seu protetor. É através dele que a Camila descobre que Larissa, uma menina da sua escola que ela - e muita gente - sequer lembra de existir, suicidou-se e guarda muita mágoa dos colegas. Só que, mais uma vez, não tem muito a ver com "A Mediadora"... Acontece que a Larissa, criada pela Gi, é completamente maluca e obcecada por algo que não posso falar, porque aí seriam spoilers demais. Só posso deixar escapar que tenho quase certeza que a menina tem psicose, ou esquizofrenia, ou alguma coisa do tipo - e que foi, pra mim, a personagem mais bem construída.

Uma das coisas que eu não posso deixar de citar é o Prólogo. Ao invés de uma introdução à história, a Gi teve a brilhante ideia de colocar lá o fim da história! Achei isso muito, muito, muito legal. Até porque cria um clima de suspense; a gente quer saber COMO aquilo aconteceu. Só não dou cinco estrelas porque fiquei o livro inteiro esperando uma aparição maior da Suellen, e porque achei que Dimitri e Camila se aproximaram muito rápido. Mas recomendo demais, é um livro muito gostoso de ler - além de se ler rapidamente -, a leitura é divertida e flui.

Leiam a Gi, de verdade, ela é ótima!

Nota: ★★★★☆
Editora: Yendis
Páginas: 128

2 comentários:

Carolina Hermanas disse...

Sabe, me lembra A Mediadora meeeesmo e me lembra que eu nunca consegui ler a série inteira.
Ah,parece beem fofa a história e eu quero ler -q
E muuito bom o fato de que você conhecia ela desde sempre né? Dai já conhece a escrita e viu o modo como a mesma evooluiu :)


Beeijão <3

Vicky Doretto disse...

Parece uma história muito boa... vai para a lista de leitura :)

BJão e bom feriado =^.^=

Postar um comentário